quinta-feira, 28 de abril de 2011

Llosa para crianças

O escritor peruano, Mario Vargas Llosa, ganhador do Nobel de Literatura de 2010, é bastante conhecido no mundo literário por uma obra marcada pela crítica à hierarquia de grupos sociais e raciais em seu país de origem e na América Latina. A luta pela liberdade individual, a intelectualidade e as experiências pessoais também são uma constante em sua escrita.

Mas, há bem pouco tempo, descobri uma outra faceta da obra de Vargas Llosa que não conhecia – e arrisco até a dizer que nem ele, mesmo porque é bem recente. Trata-se de Fonchito e a Lua, o primeiro livro infantil do escritor, lançado em março deste ano no Brasil pela Editora Objetiva, com tradução de Ari Roitman e Paulina Wacht.

É um livro pequeno, com 32 páginas, que me chegou às mãos pelas mãos de uma amiga, a Gil. Ela me disse que o encontrou em uma livraria e, fascinada com as ilustrações – assinada por Marta Chicote Juiz –, leu, ali mesmo, o pequeno livro. Dias depois, ainda pensando nele, acabou encomendando-o pela internet e, naquele dia que nos encontramos, ela o recebeu. Sem apego ou ciúmes, pois o livro mal tinha chegado às suas mãos, ela fez questão de me emprestar para ler e, eu, encantada, agradeci.

A história gira em torno da paixão do menino Fonchito, o personagem que dá título ao livro, pela amiga de escola Nereida. Ele morre de vontade de dar um beijinho no rosto da menina, mas esta lhe diz que só aceitará se Fonchito lhe trouxer a lua. O garoto então não sossegará até encontrar um meio de realizar o desejo de Nereida e, assim, poder lhe dar o tão sonhado beijo. Nessa empreitada, ele descobre que nada é impossível para quem deseja realmente alcançar um sonho.

Com ilustrações de traços e cores delicadas, a história de Fonchito e a Lua me fez lembrar o enredo de Stardust - O Mistério da Estrela Cadente, o segundo livro escrito pelo escritor inglês Neil Gaiman, e ilustrado por Charles Vess. Neste, a história gira em torno da cidade fictícia chamada "Muralha", que é rodeada por um imenso muro, com uma fenda constantemente vigiada e que levaria a outro mundo. Na cidade, vive Tristan, um rapaz apaixonado por uma moça chamada Vitória, que morre de vontade de beijá-la e desposá-la. Ela, porém, não lhe dá atenção, mas diz que só o aceitará se ele lhe der uma estrela cadente. Assim, Tristan parte para o outro lado do muro em busca da estrela cadente.

O livro de Llosa, no entanto, difere por ser extremamente real e, ainda, pela simplicidade e pela temática do carinho, da afeição e do envolvimento amoroso entre meninos e meninas. Já Stardust é uma fantasia – uma bela fantasia por sinal –, e que vai além da nossa imaginação e do mundo real.

Fonchito e a Lua faz parte do projeto da Alfaguara espanhola de publicar os grandes nomes da literatura do país para crianças menores de dez anos. Ao fazer parte dele, Vargas Llosa viu assim um antigo sonho – de escrever para crianças – se concretizar. Com essa investida pela literatura infantil, o escritor, com certeza, ampliou ainda mais sua obra e seu alcance. Não é à toa que Mario Vargas Llosa é Nobel de Literatura.

5 comentários:

  1. Ai, fiquei com vontade de ler Mario Vargas Llosa no mundo infantil! Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  2. Cecília, adorei a dica, adoro Llosa, vou procurar.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Cecília, sou louca por Literatura Infantil, mas esta do Llosa escrever um livro neste gênero, pra mim é novo também.Vou colocar na minha lista de leituras do skoob, pois vou ter que ler este livro.
    Obrigada pela dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Ceci! Obrigada! Eu não sabia desse livro do Vargas Llosa para crianças. Certamente vou atrás dele ainda hoje nas lojas on line rsrs
    Obrigada pelo texto e pela dica!

    ResponderExcluir