terça-feira, 3 de abril de 2012

O 3 de abril

Nasci em um domingo, às 7h40, no dia 3 de abril, no Hospital dos Comerciários, que ficava na avenida Brigadeiro Luís Antonio, em São Paulo. O ano, bem, o ano pouco importa, é melhor pular esta parte, porque o que conta mesmo neste post é o dia.

Segundo o Wikipédia, o 3 de abril é o 93º dia do ano do calendário gregoriano (94º em anos bissextos), faltando 272 para acabar o ano. Mas o que interessa são os acontecimentos deste dia e, claro, os acontecimentos literários, assim, em uma rápida pesquisa, descobri que hoje, no ano de 1862, portanto, há 150 anos, foi publicado o livro Os miseráveis (Les Misérables), uma das principais obras do escritor francês Victor Hugo.

O livro foi publicado simultaneamente em Leipzig, Bruxelas, Budapeste, Milão, Roterdã, Varsóvia, Rio de Janeiro e Paris. Sua história situa-se na França do século XIX, período em que aconteceram a Batalha de Waterloo, em 1815, e os motins de junho de 1832.

A obra compreende cinco volumes para narrar a trajetória de Jean Valjean, um rapaz pobre que, ao ficar órfão, vai morar com a irmã e seus filhos, passando a ajudá-los, após a morte do cunhado. Vivendo de empregos escassos, Valjean tem de se desdobrar para conseguir alimentar a família e, num ato de desespero, rouba um pão e vai preso por isso. É então condenado a trabalhos forçados e se vê livre após 19 anos, embora seu passado o marcará para sempre, dificultando sua inclusão na sociedade, além de ser perseguido, continuamente, pelo inspetor Javert.
Ao redor de Valjean transitam personagens como Fantine e sua filha Cosette, que depois será adotada pelo herói, Thénardier e seus filhos Éponine e Gavroche, que têm papéis fundamentais na trama, constituindo-se na galeria dos miseráveis, o inspetor Javert e Marius, entre outros.
Li há pouco tempo uma versão adaptada, compacta, mais para ter contato com a história. Acabou que fiquei com mais vontade ainda de ler a versão integral, sobretudo a belíssima edição (foto) da Cosac Naify em parceria com a Casa da Palavra, com tradução de Frederico Ozanam Pessoa de Barros, e que contém 1288 páginas! Um desafio e tanto, que ainda farei.  
Além da descoberta da publicação de Os miseráveis no dia 3 abril, encontrei também outras comemorações literárias neste dia, que valem a pena citar:
Em 1783, por exemplo, nascia Washington Irving, escritor estadunidense, conhecido pela autoria dos contos “The Legend of Sleepy Hollow” e “Rip Van Winkle”, do livro “The Sketch Book of Geoffrey  Crayon, Gent”, publicado em 1820. Ao que consta, sem tradução para o português.
Já no Brasil, em 1919, foi publicada a primeira edição do Jornal do Comércio, que circula em Recife (PE). E, em 1921, nascia Maria Clara Machado, escritora, diretora de teatro e atriz brasileira.
Famosa por escrever peças infantis, Marai Clara Machado foi fundadora do Tablado, escola de teatro do Rio de Janeiro. O grande sucesso aconteceu em 1955, com a montagem do seu texto Pluft, o fantasminha, que conta a história do rapto da menina Maribel pelo pirata Perna-de-Pau. Levada para o sótão de uma velha casa, onde fica escondida, a menina conhece uma família de fantasma e faz amizade com Pluft.
A própria Maria Clara dirigiu a peça, que ganhou o prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte.
Mas nem só de alegrias o 3 de abril viveu e vive. Em 1991 falecia o escritor inglês Graham Greene. Autor de romances, contos, peças teatrais e críticas literárias e de cinema, Greene escreveu obras como O poder e a glória, Nosso homem em Havana e O fator humano, entre outras.
É bom conhecer um pouco mais sobre a data do nosso aniversário. Aqui trouxe um pouco do que pesquisei. No futuro, certamente, novos acontecimentos marcarão o 3 de abril. Por ora, basta saber que é meu aniversário.

2 comentários:

  1. parabéns, parabéns, parabéns!!! ra timbuummm!!!
    eeee!!!

    ResponderExcluir
  2. Muitos parabéns!Este post foi (mais) uma bela ideia!

    ResponderExcluir