sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A companhia ideal


Ele é como um irmão, um companheiro,
que nunca me deixa só.
Está sempre comigo, onde quer que eu vá.
Mesmo quando não me acompanha fisicamente, ele se faz
presente em outros ao meu redor.
Se estou curiosa, me ajuda a desvendar o mundo.
Quando estou alegre, ele me faz rir ainda mais.
Mas se estou triste, ele ampara minhas lágrimas.
Nas horas intranquilas, quando não estou disposta,
ele se cala e espera.
Se estou desatenta, ele embaralha meus pensamentos
e me faz refletir novamente.
Quando preciso de um mestre, ele se propõe a me ensinar.
Se quero ação, ele estimula minha mente a trabalhar.
Já quando quero sonhar, ele faz minha imaginação voar.
Se estou cansada, ele se oferece para ir embora
a fim de que eu possa repousar.
Mas se quero brincar, ele me desafia e se esconde de mim.
Quando estou carente, ele se deixa envolver pelos meus braços.
E se estou de coração aberto, ele me cobre de alegrias
e me emociona com suas histórias.
A sua voz pode parecer com a minha,
mas na maioria das vezes tem sonoridades diferentes.
Seu nome pode vir disfarçado de diversas formas,
dependendo da história que ele quer contar,
mas a sua essência é uma só.
Ele é meu repouso, meu parceiro, meu cúmplice.
Ele é o meu grande amigo, o LIVRO.

6 comentários:

  1. adorei cecilia!!!!!!!
    o Livro é sempre o melhor companheiro...a gente que escolhe rs
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh... Lindo! E, sim... É exatamente isso que os livros são... Companheiros. Beijos, Ciça!

    ResponderExcluir
  3. Você disse tudo o que os amantes dos livros sentem. Lindo o texto!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto, acertou em cheio!

    beijinhos

    ResponderExcluir